terça-feira, 8 de novembro de 2011

ROTINA PARA ABDOME AGUDO: ABDOME

Abdome agudo
Três Incidências
Básicas:
AP em Decúbito Dorsal
AP ortostática
PA torácica
Especiais
Decúbito Lateral esquerda (PA)
Incidências Clínicas da Rotina para Abdome Agudo
1. íleo paralítico (obstrução não-mecânica do intestino delgado)
ou íleo mecânico (obstrução do intestino por hérnia, bridas etc.)
2. Ascite (acúmulo anormal de líquido no abdome)
3. Perfuração de víscera oca (como intestino e estômago, evidentes por ar intraperitoneal livre)
4. Massa intra-abdominal (neoplasias, benignas ou malignas)
5. Pós-operatório (cirurgia abdominal)
Lembre-se de fazer primeiro as imagens em posição ortostática se o pa­ciente chegar ao departamento em posição ereta.
Receptor de Imagem, Colimação e Proteção
35 x 43 cm (14 x 17 polegadas), grades móveis ou estacionárias;
colimação e proteção iguais às descritas anteriormente
 
Posicionamento do Paciente e da Parte
Observe que a maioria das rotinas de departamento para
radiografia de abdome em posição ortostática inclui a centralização alta para mostrar um possível ar intra-peritoneal sob o diafragma, mesmo que uma incidência PA do tórax esteja incluída na rotina.


Instruções Respiratórias
Radiografia de tórax realizada em inspiração total, e radiografia
de abdome em expiração.
Raio Central
RC ao nível da crista ilíaca em decúbito dorsal e cerca de
5 cm (2 polegadas) acima do nível da crista para incluir o
diafragma em ortostase ou decúbito.

Observações:

O decúbito lateral esquerdo: substitui a posição ortostática se
o paciente está muito enfermo para ficar de pé.

Feixe horizontal: é necessário para visualizar níveis hidroaéreos.
Incidência PA do tórax em ortostase ou AP do abdome em
ortostase visualiza melhor ar livre sob o diafragma.
O paciente deve estar em posição ortostática ou de lado para
a radiografia em decúbito, por no mínimo 5 minutos antes da
exposição, sendo preferíveis 10 a 20 minutos para mostrar
pequenos volumes potenciais de ar intraperitoneal. 




Um comentário: